Geoparque Naturtejo | Geopark Mundial Unesco

O GEOPARK NATURTEJO da Meseta Meridional, é um território de valor inestimável, com um património geológico, geomineiro, paleontológico, de referência, que integra a Rede Mundial de Geoparques da UNESCO.
Ocupa uma área superior a 5.000 km2, nos concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Para além dos seus mais de 170 geossítios, o GEOPARK NATURTEJO conta com o Parque Natural do Tejo Internacional e com áreas protegidas da Rede Natura 2000, testemunho da sua riqueza ecológica e biodiversidade.

Naturtejo_panoramica
Naturtejo_Geoparque

As regiões megalíticas, as estações paleolíticas, a arte rupestre do Tejo, as aldeias de xisto, a etnografia, cultura e paisagem raianas, testemunham a história de várias centenas de milhões de anos de um território que, tendo por base o seu património geológico excecional, aposta forte na educação, na geoconservação e no geoturismo.

Outros GEOPARQUES MUNDIAIS UNESCO :
>> AROUCA Geopark
>> ESTRELA Geopark
>> Geoparque AÇORES
>> Katla Geopark: ISLÂNDIA

GEOPARK NATURTEJO: Roteiro

GEOPARK NATURTEJO: Como Chegar

♦ A Castelo Branco (vindo de Lisboa: 215 km/2h15m) – pela A1 (direção Norte), saída 7 para a A23 e, nesta, saída 22 para a EN233;
♦ A Castelo Branco (vindo do Porto: 295 km/2h50m) – pela A1 (direção Sul), saída 16 para a A25 (direção Guarda/Viseu), depois saída 30 para A23, IP2 (direção Lisboa/Guarda sul) e, nesta, saída 23 para a EN112;
♦  Às Portas de Ródão – EN 18 (Vila Velha de Ródão – Nisa);
♦  Às Portas de Almourão – Estrada Municipal 545 (Chão das Servas – Foz do Cobrão).


GEOPARK NATURTEJO: Que Ver

O GEOPARK NATURTEJO conta com mais de 170 geossítios, locais de reconhecido interesse geológico, dos quais 17 geomonumentos, ilustrativos das principais etapas da história geológica, de 600 milhões de anos, da região:

GeomonumentoLocalidade
Monumento Natural Portas de RódãoVila Velha de Ródão / Nisa
Troncos Fósseis de Vila Velha RódãoVila Velha de Ródão
Portas de AlmourãoProença-a-Nova / Vila Velha de Ródão
Miradouro Geomorfológico das CorgasProença-a-Nova
Parque Iconológico de Penha GarciaIdanha-a-Nova
Inselberg granítico de MonsantoIdanha-a-Nova
Minas de SeguraIdanha-a-Nova
Canhões Fluviais do Rio Erges Idanha-a-Nova
Garganta do ZêzereOleiros
Meandros do ZêzereOleiros
Fraga da Água d’Alta Oleiros
Complexo Mineiro Monforte da BeiraCastelo Branco
Morfologias Graníticas Serra da GardunhaCastelo Branco
Mina de Ouro Romana Conhal do Arneiro Nisa
Blocos Pedunculados de Arez-Alpalhão Alpalhão – Nisa
Complexo Mineiro Romano da PresaPenamacor
Falha do PonsulNisa/V.V.Ródão/C.Branco/Idanha-Nova

1. TRONCOS FÓSSEIS DE V. V. DE RÓDÃO

Troncos_fosseis_Naturtejo

Estes fósseis raros correspondem a troncos de árvores do grupo das Anoneiras, que existiam há mais de 15 milhões de anos na região do GEOPARK NATURTEJO, então sob clima tropical.
A alteração de clima com a consequente morte destas espécies arbóreas e seu enterramento, originou a substituição das fibras vegetais por sílica, o principal componente mineral do substrato arenoso dos terrenos.

2. PORTAS DE RÓDÃO

Portas_Rodao_Naturtejo
Portas_Rodao_Naturtejo
GEOPARK NATURTEJO. Portas de Ródão. Rio Tejo. Na margem esquerda, lado sul, fica o concelho de Nisa, distrito de Portalegre; na margem direita, o concelho de Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco

O Monumento Natural das Portas de Ródão, é considerado um dos mais importantes geomonumentos em Portugal e o mais icónico dos geossítios do GEOPARK NATURTEJO.
Um longo processo de erosão sobre o maciço quartzítico da serra do Perdigão, que o rio Tejo terá iniciado há cerca de 2,6 milhões de anos, abriu “duas portas” (duas paredes escarpadas com cerca de 170 mts de altura) que provocam um estrangulamento do curso de água do Tejo, de 45 mts de largura.

As Portas de Ródão são também o habitat da maior colónia de grifos em Portugal e local privilegiado de observação de outras 115 espécies de aves, muitas das quais raras ou em vias de extinção.

3. CONHAL DO ARNEIRO: Mina de Ouro Romana

Nisa_Conhal_Arneiro

A área arqueológica do Conhal do Arneiro, onde se situa a enorme Mina de Ouro Romana, está nos limites da margem esquerda do rio Tejo e das Portas de Ródão, na serra das Talhadas, ocupando uma área de cerca de 90 hectares.

A paisagem é, em grande parte, dominada pelas Conheiras – acumulação de seixos em pilhas alongadas com mais de 100 mts de extensão e 5 mts de altura – resultantes da técnica usada na exploração do ouro, que consistia em: (1) desmanchar as massas de detritos auríferos servindo-se da força motriz da água; (2) manualmente, retirar e empilhar, onde não estorvassem, os seixos maiores; (3) separar as pepitas de ouro do cascalho e da areia, nos tanque de decantação, a jusante.

4. PORTAS DE ALMOURÃO

Portas_Almourao
Naturtejo_Portas_Almourao
GEOPARK NATURTEJO. Portas de Almourão. Rio Ocreza

Entre as aldeias de Foz do Cobrão, no concelho de Vila Velha de Ródão, e Sobral Fernando, no concelho de Proença-a-Nova, o rio Ocreza rasgou ao longo de mais de dois milhões de anos um desfiladeiro com 400 mts de profundidade, e uma magnífica garganta no curso de água conhecida como Portas de Almourão.

Dois excelentes miradouros, um de cada lado das margens, proporcionam panorâmicas soberbas sobre as Portas de Almourão e o imenso desfiladeiro, além da observação de inúmeras espécies de aves que aqui nidificam.

5. MIRADOURO GEOMORFOLÓGICO DAS CORGAS

Corgas_Proenca_Nova

O Miradouro Geomorfológico das Corgas, em Proença-a-Nova, proporciona vistas panorâmicas de dezenas de quilómetros, permitindo observar as montanhas de xisto e vastas áreas de urze e giesta até à chamada Sinclinal do Ródão, megadobra em U formada pela Serra das Talhadas.

6. MONSANTO: Montes-ilha

Monsanto_Aldeia
GEOPARK NATURTEJO. Aldeia de Monsanto

Os Montes-ilha de Monsanto – conhecida como aldeia mais portuguesa de Portugal – ou inselberg, são montes de granitos que se instalaram nas rochas de xisto há mais de 250 milhões de anos, durante os quais sofreram a ação da erosão que lhes conferiu as formas que hoje evidenciam.

7. PENHA GARCIA: Parque Icnológico

Penha_Garcia_Naturtejo
GEOPARK NATURTEJO. Aldeia de Penha Garcia. Ao fundo, a Aldeia de Monsanto

Há 480 milhões de anos a região de Penha Garcia era banhada por oceanos onde pontificavam diferentes formas de vida.
Os vestígios dessa história longínqua ficaram registados nas camadas quartzíticas dos fundos oceânicos, nos fósseis de trilobites e outros seres marinhos, que hoje constituem o Parque Icnológico de Penha Garcia.

8. COMPLEXO MINEIRO DE MONFORTE DA BEIRA

O complexo mineiro de Monforte da Beira apresenta, separadas por escassas dezenas de metros, duas minas: Mina do Pó e Mina da Tinta, recintos subterrâneos nas serranias cujas paredes estão revestidas por materiais ferruginosos que, em tempos, foram intensamente explorados pelos romanos, como recurso tecnológico.

9. RIO ZÊZERE: Garganta e Meandros

Rio_Zezere

Desde o vale glaciário da Serra da Estrela, onde nasce, até Constância, onde desagua no Tejo, o rio Zêzere corre num vale com meandros encaixados entre escarpas impressionantes formadas por camadas verticais de quartzito que se erguem a centenas de metros de altitude.
A Garganta e os Meandros do Zêzere são geomonumentos referenciados na região de Oleiros.

10. RIO ERGES: Canhões Fluviais

Rio_Erges_PNTI

O rio Erges, nasce na serra da Gata, em Espanha, definindo a fronteira com Portugal ao longo de cerca de 50 km, e desagua na margem direita do Tejo, banhando o Parque Natural do Tejo Internacional a jusante de Salvaterra do Extremo.
É um rio selvagem, com grande capacidade erosiva, o que, tendo em conta a geodiversidade da raia, originou os canhões fluviais, gargantas impressionantes que podem ser encontradas nos quartzitos das Termas do Monfortinho, e nos granitos de Salvaterra do Extremo e Segura.

11. FALHA DO PONSUL

Falha_Ponsul_Naturtejo

O rio Ponsul é também afluente da margem direita do Tejo, estabelecendo a fronteira entre os concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão.
A Falha do Ponsul, uma das mais importantes estruturas geológicas do GEOPARK NATURTEJO, é uma escarpa, originada há cerca de 300 milhões de anos, caracterizada por um gigantesco degrau na paisagem que se prolonga por mais de 120 km, desde o Arneiro até Monfortinho, prosseguindo para Espanha.
O degrau que separa a Superfície de Castelo Branco e a Superfície do Alto Alentejo, teve origem há cerca de 10 milhões de anos.

12. CONHEIRA DE FOZ DO COBRÃO/SOBRAL FERNANDO – S’LA VELHA

Sla_Velha_Conheira

S’la Velha é uma área de conheira com cobertura arbórea, sobretudo olival, na margem direita da ribeira da Fróia.
A tradição oral refere que este teria sido o primitivo lugar de Sobral Fernando, existindo ruínas de algumas casas de xisto e referências a um cemitério junto das casas.

13. SOBRAL FERNANDO – CARREGAIS: Corte do caminho

Carregais_Sobral_Fernando

Geossítio de interesse tectónico, entre as aldeias de Sobral Fernando e Carregais, no concelho de Proença-a-Nova, cuja orogenia (processos de formação ou rejuvenescimento de montanhas ou cadeias de motanhas pela colisão de placas tectónicas), ao longo de centenas de milhões de anos, originou uma Cadeia Varisca resultante da colisão de dois grandes blocos.

14. MURO DE SIRGA

Naturtejo_Muro_Sirga
GEOPARK NATURTEJO. Muro de Sirga. Margem esquerda do Tejo
Muro_Sirga
Cena retratando uma balsa puxada à sirga (1890)

Os muros de sirga, são antigos caminhos ao longo das margens do rio cuja finalidade era possibilitar a tração de barcos por meio de animais ou pessoas, quando a navegação à vela não era possível.

15. BURACA DA MOURA DE CHÃO DO GALEGO

Naturtejo_Buraca_Moura
GEOPARK NATURTEJO. Buraca da Moura. Chão do Galego. Serra das Talhadas. No cimo (à esq.), a instalação artística “Farol dos Ventos”, obra executada em cabos náuticos coloridos, por MAG

A Buraca da Moura de Chão do Galego é um dos geossítios do património geomineiro da região, existindo várias “buracas da moura” no território do GEOPARK NATURTEJO, que normalmente têm associadas lendas de mouras encantadas.


GEOPARK NATURTEJO: Que Fazer

1. CASTELO BRANCO

Castelo_Branco_cidade

Castelo Branco é a capital do distrito a que pertencem todos os concelhos (com exceção de Nisa, no distrito de Portalegre) que compõem o território do GEOPARK NATURTEJO da Meseta Meridional.
Terras do interior e da raia que nos surpreendem pela sua paisagem natural, pelo seu património e pela oferta diversificada de infraestruturas turísticas e de lazer.

2. DESPORTO NA NATUREZA

Sobral_Fernando_escalada
GEOPARK NATURTEJO. Sobral Fernando. Rocha da Escalada
Oleiros_Acude_Pinto
GEOPARK NATURTEJO. Oleiros. Praia Fluvial Açude Pinto

Percursos pedestres e BTT, escalada, hipismo, passeios de barco, canoagem, paraquedismo, parapente, observação de aves, pesca, são algumas das inúmeras possibilidades para a prática de desporto saudável em contacto direto com a natureza fantástica do GEOPARQUE NATURAL da Meseta Meridional.

OUTRAS SUGESTÕES:
>> Tejo Internacional | Parque Natural | Visitar PNTI
>> Serra S. Mamede | Parque Natural | Visitar PNSSM
>> Vale do Guadiana | Parque Natural | Guadiana
>> Douro Internacional | Parque Natural | Douro
>> Peneda-Gerês | Parque Nacional | Visitar PNPG
>> Montesinho | Parque Natural | Visitar Montesinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: