Terena | Que Ver e Fazer | Visitar Terena

TERENA – S. Pedro, alternativamente S. Pedro de Terena, é uma freguesia do concelho de Alandroal, no Alentejo, a cerca de 55 km de Évora e a 200 km de Lisboa.
Terra do Endovélivo, do Vale Sagrado de Lucifecit, do castelo medieval na linha de defesa do Guadiana, da Fermosíssima Maria e do lendário culto à Senhora da Boa Nova.

Terena_panoramica

Um lugar encantado por entre caminhos e ruelas estreitas e floridas, casario branco recortado de azul e ocre, com castelo altaneiro sobre um monte a dominar a paisagem em redor e a vista sobre a planície e a barragem da ribeira de Lucifecit.

SUGESTÕES DE VISITA :
>> ALQUEVA | O Grande Lago
>> VALE DO GUADIANA | Parque Natural
>> NOUDAR | Parque de Natureza | Barrancos
>> SW Alentejano e Costa Vicentina | PNSACV
>> SERRA DO CALDEIRÃO | Entre Alentejo e Algarve

TERENA: Roteiro

TERENA: Como Chegar

♦  A partir de Lisboa, 200 km/2h – pela A2 (Ponte 25 de Abril) ou pela A12 (Ponte Vasco da Gama), depois pela A6 e, nesta, pela saída 8 direção Alandroal/Borba; finalmente EN255 direção Alandroal/Vila Viçosa, EN373, e de novo, EN255 até TERENA;
♦  a partir de Faro, 255km/2h45m – pela A22 (direção Portimão/Lisboa), depois A2 (saída 10, direção Messines/Lisboa) e IP2 (saída 12, para Castro Verde/Beja); finalmente EN256 e ER255 até TERENA;
♦  a partir de Évora, 55 km/0h50m – direção São Miguel de Machede e Redondo, seguindo depois pela EN255 até TERENA.


TERENA: Que Ver

1. CASCO HISTÓRICO

Janela_Terena
Rua_Terena
Beco_Terena
Rua_Direita_Terena

Passeando pelas ruas ao longo do casco histórico, TERENA surge-nos como um jardim florido com casas brancas rematadas por faixas azuis e calçadas com vasos e canteiros coloridos.
E mulheres sorridentes nas soleiras das portas rendilhando conversas nos atavios dos novelos.

2. PELOURINHO DE TERENA

Pelourinho_Terena
TERENA. Pelourinho do séc. XVI, encimado por esfera armilar sobre capitel coríntio

Na rua Direita, entre a igreja de São Pedro e o castelo, podemos apreciar o Pelourinho de TERENA, junto à Misericórdia e aos Paços do extinto concelho (com porta exibindo o escudo real de D. João V), do séc. XVIII, que serviria como hospital até meados do séc. XX.

3. CASTELO DE TERENA

Castelo_Terena_torre
Muralhas_castelo_Terena
Papoilas_castelo_Terena
Lucifecit_Terena

O castelo de TERENA, juntamente com os castelos de Alandroal, Juromenha, Monsaraz e Mourão, fazia parte da linha de defesa do rio Guadiana.
Datado do séc. XIII, foi sujeito a obras de recuperação e restauro na sequência dos danos sofridos sobretudo durante as guerras da Restauração e o terramoto de 1755.
Situado no alto de um monte, domina a paisagem em redor do povoado.

4. LUCIFECIT: Barragem e Vale Sagrado

Vale_Lucifecit_Terena
Alandroal_Alqueva

Nas Cantigas de Santa Maria, do séc. XIII, da autoria de Afonso X, de Castela, nas composições dedicadas a Santa Maria de Terena, o rei refere-se ao rio Lucifecit, omitindo-lhe o nome, na dúvida sobre se a sua origem está na designação latina para Vénus, Lúcifer, ou na tradição pagã e cristã que associa Lúcifer a Satanás… não vá o diabo tecê-las!

Já a designação de Vale Sagrado, tem por referência locais de culto pagãos e cristãos, pré-romanos e contemporâneos, como o Santuário do Endovélico ou o Santuário de Nossa Senhora da Boa Nova.

5. SANTUÁRIO DA SENHORA DA BOA NOVA

Terena_Boa_Nova
Santuário de Nossa Senhora da Boa Nova, representado no Livro de Fortalezas, de Duarte de Armas, 1509-1510

Nas imediações de TERENA, fora da povoação, existe um templo dedicado à Senhora da Boa Nova que surpreende pela planta em cruz grega com três pórticos de arcos góticos sobre os quais se erguem balcões defensivos decorados com as armas reais portuguesas, o que o faz assemelhar-se a uma fortaleza.
Conservando-se praticamente intacto, constitui um exemplar raro de igreja-fortaleza no património arquitetónico português, tendo sido classificado Monumento Nacional, em 1910.
Datado do séc. XIV, guarda no interior um retábulo maneirista do séc. XVI, altares em talha dourada do séc. XVIII, púlpito e pinturas do séc. XIX.

5.1 LENDA DA FERMOSÍSSIMA MARIA

Batalha_Salado
Batalha do Salado, 1340. Tela de autor desconhecido, do séc. XVII.
Confronto que opôs os exércitos de Afonso XI de Castela e Afonso IV de Portugal às tropas muçulmanas

A origem do culto e invocação de Nossa Senhora da Boa Nova parece radicar numa lenda conhecida como da Fermosíssima Maria:

Consta que, D. Maria, filha de rei Afonso IV de Portugal, rainha de Castela pelo seu casamento com Afonso XI, se terá deslocado expressamente à corte portuguesa para pedir a seu pai que apoiasse o marido na Batalha do Salado, que opôs cristãos e muçulmanos. No regresso a Castela sem uma resposta definitiva, encontrar-se-ia próximo de Terena, cerca do local onde foi erguido o santuário, quando recebeu a boa nova.

Desde então, permanece vivo o culto a Nossa Senhora da Boa Nova, com uma romaria anual muito concorrida que ocorre no feriado municipal do concelho que é também o dia principal da festa, segunda-feira de Pascoela (primeiro fim de semana a seguir à Páscoa).

O santuário mariano parece resultar da adoção de cultos pagãos pelos cristãos, visto que nas imediações se encontram as ruínas do templo do deus Endovélico.

6. SANTUÁRIO DO ENDOVÉLICO

Lucifecit_castelo_Terena

Na freguesia de TERENA, ao km 6 da EN373 que liga Alandroal a Redondo, encontra-se a indicação de Endovélico, a que se acede, a pé.
Não sendo facilmente identificável, terá sido um importante santuário dedicado a Endovélico, também referido como deus da Lusitânia, uma divindade indígena, pré-romana, provavelmente de origem céltica.
As ruínas do templo localizam-se num outeiro do lugar de S. Miguel da Mota, nas proximidades da ribeira de Lucifecit, e está classsificado como Imóvel de Interesse Público.


TERENA: Que Fazer

1. ALANDROAL

Castelo_Alandroal

O alandro, também conhecido por oleandro, aloendro, loendro, loandro, adelfa, espirradeira ou flor de São José, é um arbusto tóxico e uma planta ornamental, cujos caules são usados em peças de artesanato e também para fazer fisgas.
Além dos alandros comuns nos caminhos e calçadas do concelho, Alandroal é também terra de ricas tradições e valioso património histórico, cultural e religioso, como deixamos entrever aqui em
==> Alandroal | Que Ver e Fazer | Visitar Alandroal .

2. JUROMENHA

Castelo_Juromenha

Sede de freguesia extinta em 2013, Juromenha deve a sua importância à fortaleza e castelo que integravam a linha defensiva do Guadiana.
Apesar das ruínas e do abandono a que tem sido votado, justifica uma visita.

3. REDONDO

Vila_Redondo

No decurso da guerra civil que opôs D. Dinis aos partidários do filho, futuro Afonso IV, o rei amputou os concelhos de Monsaraz e Évoramonte, e formou o concelho do Redondo, dotando-o de valioso património histórico que vale a pena conhecer.
A meio caminho entre Évora e Alandroal, a apenas 25 km de TERENA.

OUTRAS SUGESTÕES:
>> ESTRELA GEOPARK | Serra da Estrela
>> AROUCA GEOPARK | Visitar Arouca
>> MONTESINHO | Parque Natural
>> PORTO | Roteiro | Visitar Porto
>> Douro Internacional | Parque Natural
>> Douro Vinhateiro | Roteiro | Visitar Douro

2 thoughts on “Terena | Que Ver e Fazer | Visitar Terena

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: