Kom Ombo: Egito | Horus e Sobek | Visitar Kom Ombo

KOM OMBO: Templo de Horus e Sobek

KOM OMBO é uma cidade egípcia situada na margem direita do rio Nilo, a cerca de 50 km a norte de Assuão e a mais de 160 km, a sul de Luxor.
Uma parte significativa dos seus habitantes são deslocados núbios das regiões inundadas pela Barragem de Assuão e o Lago Nasser .

Mais em ASSUÃO: 
--> ASSUÃO: Barragem e Lago Nasser
--> ABU SIMBEL: Templos de Ramses
--> PHILAE: Templo de Ísis
--> EDFU: Templo de Horus
--> NILO: Cruzeiro no Nilo

KOM OMBO

Kom Ombo, marginal
KOM OMBO. Marginal

O TEMPLO DE KOM OMBO, como o Templo de Edfu, são dois dos mais importantes templos da era ptolomaica, no Egito.
São ambos dedicados ao deus falcão Horus, deus do céu, patrono do Egito, símbolo da realeza egípcia, sendo que o TEMPLO DE KOM OMBO, é também dedicado a Sobek, o deus crocodilo, deus do Nilo e da fertilidade.

Kom Ombo, vista do Nilo
Templo de Kom Ombo, pátio e fachada
TEMPLO DE KOM OMBO. Visto a partir do Nilo (na foto de cima) e no recinto

 


TEMPLO DE KOM OMBO: Horus e Sobek

O TEMPLO DE KOM OMBO é, como vimos, o único templo do Egito dedicado a duas divindades: Horus, o deus falcão,  e Sobek, o deus crocodilo.

É uma construção única que arquitetonicamente corresponde à fusão de dois templos num mesmo edifício, formando duas metades iguais e simétricas, unidas por um eixo principal comum.

Templo de Kom Ombo, entrada
TEMPLO DE KOM OMBO. A divisão simétrica do templo é evidenciada pelos dois discos solares entre ureus (adorno em forma de serpente), que encimam o lintel da dupla entrada

A chegada ao recinto do complexo de KOM OMBO permite-nos perceber que pouco resta do pilone de dupla entrada (quase totalmente destruído) e das colunas do pátio comum.

Templo de Kom Ombo, vista lateral
TEMPLO DE KOM OMBO. Na foto, à direita, identificamos o que resta do pilone de dupla entrada e das colunas do pátio comum. Ao centro, o templo propriamente dito. À esquerda as ruínas do mammisi (espaço reservado aos nascimentos). Um pouco mais à esquerda (fora da imagem), o poço, usado para o culto e como Nilómetro

O pátio comum preserva algumas colunas com decorações dualísticas pintadas em relevo, representando as duas divindades, Horus e Sobek.

A fachada principal do templo e a sala hipostila são as que apresentam melhor estado de conservação, com imponentes colunas decoradas e ornadas com bonitos capitéis imitando papiros.

Kom Ombo, vista de trás

Templo de Kom Ombo, nicho
TEMPLO DE KOM OMBO. Nicho no qual o faraó repetidamente recordava aos seus súbditos: “Eu sou deus, eu sou deus”. O som propagava-se para o exterior pelas aberturas superiores

No recinto do templo podem ainda ser vistas as ruínas dos santuários, de que apenas restam as paredes das fundações, e algumas mesas de oferendas, assim como edificações reservadas aos doentes e aos peregrinos, e o poço, que funcionou como nilómetro.


Kom Ombo: Arte em Relevo

As decorações preservadas em muitas das paredes, colunas, capitéis, portadas, lintéis, evidenciam uma particular plasticidade na arte em relevo egípcia no reinado ptolomaico (332-30 a.C.).

Kom Ombo, decoração de parede
TEMPLO DE KOM OMBO. Decoração de uma parede do recinto do templo

Representação dupla de cenas da vida quotidiana e de cerimónias de oferendas aos deuses Sobek e Horus


KOM OMBO: Museu do Crocodilo

Nas proximidades do TEMPLO DE KOM OMBO foi encontrado um cemitério com crocodilos mumificados. Admite-se como provável que tenham sido capturados crocodilos vivos no recinto do templo.
O Museu do Crocodilo, mesmo ao lado, exibe uma exposição permanente com alguns desses exemplares.

Museu do Crocodilo, Kom Ombo


KOM OMBO: Encantador de Serpentes

Encantador de serpentes, Kom Ombo

Como vimos, uma parte da população de KOM OMBO é composta por deslocados núbios e descendentes que tiveram de ser retirados das aldeias que foram sumbersas pela Barragem de Assuão e o Lago Nasser.
Como em muitas cidades e vilas do Egito, os encantadores de serpentes continuam a ser figuras típicas locais. E muitos são realmente encantadores na simpática bonomia com que derretem os medos do mais assustadiço dos curiosos.

Uma arte ancestral que acrescenta mistério à beleza quase mística dos templos egípcios, como o TEMPLO DE HORUS E SOBEK, em KOM OMBO.

⇑ Topo

Mais sobre o EGITO:
--> CAIRO Roteiro: De Tahrir às Pirâmides
--> CAIRO Cidade: Que ver Que fazer
--> CAIRO Antigo: Bairro e Museu Copta
--> CAIRO Histórico: Al-Azhar, Cidadela

--> PIRÂMIDES: Gizé e Grande Esfinge 
--> PIRÂMIDES: Sakkara e Dahshur

--> MÊNFIS: Colosso de Ramsés e Esfinge
--> TEBAS: Necrópole | Colossos de Memnon
--> KARNAK: Templo de Karnak 
--> LUXOR: Templo de Luxor
--> VALE DOS REIS: Vale das Rainhas
--> DEIR EL-BAHARI: Templo de Hatshepsut
--> MEDINET HABU: Templo de Ramses III
--> EDFU: Templo de Horus
--> ASSUÃO: Barragem e Lago Nasser
--> PHILAE: Templo de Ísis
--> ABU SIMBEL: Templos de Ramsés 

--> EGITO: Cruzeiro no Nilo
--> EGITO: Deserto
--> EGITO: Oásis
--> EGITO: Planear e Organizar Viagem 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: