O que ver O que fazer em EDIMBURGO New Town

EDIMBURGO é a capital e a segunda cidade mais populosa da Escócia, situando-se a pouco mais de uma hora e a menos de 80 km de distância, da maior cidade – Glasgow.
Existem ligações rodoviárias, ferroviárias e aéreas entre as duas principais cidades da Escócia. O autocarro é, em geral, a opção mais económica, com paragem junto da estação ferroviária de Waverley, na Princes Street, a rua principal da New Town, a Cidade Nova planeada e construída a partir do séc. XVIII.
O aeroporto de Edimburgo fica a oeste da cidade a cerca de 9 km.

EDIMBURGO é uma cidade culta, cosmopolita, também conhecida como a “Atenas do Norte”, por ter sido um dos principais centros irradiadores das ideias do Iluminismo e da Revolução Industrial, com intelectuais de vulto como David Hume ou Adam Smith, famoso filósofo e economista autor de A Riqueza das Nações.

David Hume, filósofo, historiador e ensaísta, nascido em Edimburgo, descrevia a New Town como “excedendo tudo o que existe em qualquer parte do mundo”.

O que ver em EDIMBURGOEdimburgo

 

É pela New Town, construída para satisfação dos habitantes ricos de Edimburgo cansados de conviver com os pobres da Cidade Velha, a Old Town, que iniciaremos o roteiro de cerca de 5Km que destinamos para o 1º dia, e que concluiremos no Regent Road Park

Roteiro Dia 1 – New Town

Na Princes Street, junto à estação ferroviária temos, de um lado, ao fundo, a colina de Calton Hill com a sua torre de homenagem ao almirante Nelson e, do outro, impondo-se pela sua magnitude, The Scott Monument,

o maior monumento no mundo dedicado a um escritor, Sir Walter Scott, nascido em Edimburgo em 1771, autor de títulos famosos como Ivanhoe, The Lady of the Lake ou Waverley.

Um pouco antes, existe um Posto de Turismo, onde recolhemos informação sempre útil para quem chega.

E, em frente, o edifício Jenners

de belíssima fachada vitoriana. Uma grande loja comercial conhecida como o Harrod’s de Edimburgo.
Logo depois, lado a lado, a Royal Scotish Academy e a Scotish National Gallery,

respetivamente, a Academia Real Escocesa, instituição independente que apoia e promove a cultura na cidade, e a Galeria Nacional, que possui a maior coleção de arte da Escócia, com entrada livre,

para todos, adultos e crianças, pais e filhos, que dela podem fruir interessada e descontraidamente.

Mas o que verdadeiramente domina a paisagem da rua mais frequentada da Cidade Nova, para lá da bela arquitetura e design dos edifícios e das inúmeras lojas comerciais, são os Princes Street Gardens

e, claro, o Edinburgh Castle, o imenso castelo sobre a grande colina sobranceira ao jardim.

No final da rua Princes Street a igreja de St John’s Episcopal Church

um dos inúmeros monumentos que fazem parte da lista de edifícios protegidos pelo estatuto de Arquitetura Especial ou Interesse Histórico.

E para nos embrenharmos mais ainda por esta zona nobre da cidade, seguimos à direita em direção à praça Charlotte Square

Cortornamos a praça e o jardim passando, pelo edifício de cúpula do Arquivo Nacional da Escócia, depois à direita, pela Georgian House, no nº VII, considerada um exemplar fiel do estilo de vida dos cidadãos ricos da cidade nos finais dos séc. XVIII e XIX, e pela Bute House, no nº VI, a residência oficial do primeiro-ministro da Escócia.

De novo à direita e logo depois à esquerda, a charmosa George Street,

que fica entre as ruas Princes e Queen Street, sendo paralela a estas.

Recheada de elegantes edifícios, monumentos, estátuas, lojas, bares, esplanadas, restaurantes com cozinha de diferentes origens, desemboca na praça St Andrew Square

um dos principais centros financeiros da Escócia e uma das áreas residenciais mais elegantes e apetecidas de Edimburgo. No centro da praça e do jardim, onde são exibidas sessões de cinema ao ar livre, destaca-se o Melville Monument, uma enorme coluna encimada pela estátua do 1º Visconde de Melville, Henry Dundas.
É ainda nesta praça que se situa a Bus Station, o terminal de autocarros que chegam a, ou partem de Edimburgo.

Retomamos a Princes Street prosseguindo, à esquerda, para Calton Hill, a colina de origem vulcânica, ao fundo, onde se destaca a torre de homenagem ao almirante Nelson.

Impõe-se-nos a magnífica fachada do The Balmoral,

o hotel de luxo, de arquitetura vitoriana, com a impotente torre construída para auxiliar os passageiros da vizinha estação ferroviária de Waverley, nos horários de embarque. Foi cenário de um filme escocês e o local onde J. K. Rowling concluiu o último livro da série Harry Potter.

Mais adiante o Old Calton Cemetery

que entre outras celebridades, conserva o túmulo do eminente filósofo, historiador e ensaísta britânico, David Hume, nascido na Escócia em 1711.

Um pouco mais adiante, St Andrew’s House,

o edifício sede do governo da Escócia.

Do lado oposto, Calton Hill,

a colina de origem vulcânica com o memorial, Dugald Stewart Monument, ao filósofo escocês, professor da cadeira de Filosofia Moral na Universidade de Edimburgo, e a torre, Nelson Monument, de homenagem ao almirante da Marinha Real Britânica, morto em combate contra franceses e espanhóis, na batalha naval de Trafalgar.

Na encosta, vemos ainda um conjunto de construções monumentais de inspiração grega, o New Parliament House

considerado o melhor edifício neoclássico da cidade, sede do Parlamento escocês até 1999.

No alto da colina, destaca-se, para além do observatório astronómico Old City Observatory, e da torre de homenagem ao almirante Nelson, o National Monument of Scotland,

o inacabado memorial aos soldados e marinheiros escoceses que morreram em combate nas guerras napoleónicas.

Mas aqui, em Calton Hill, até podemos reservar algum do nosso tempo para uma “caça ao tesouro”!

E, não será difícil encontrá-lo, e até, trazê-lo connosco num cartão de memória do telemóvel ou da máquina fotográfica!

The Portuguese Cannon,

o canhão português, de bronze, que terá percorrido meio mundo até ir parar às colónias portuguesas na Ásia, onde foi capturado pelos britânicos, os nossos mais antigos aliados, durante a invasão de Burma, atual Myanmar, em 1885.

O que fazer em EDIMBURGO

Para o final da jornada, reservamos um passeio sempre relaxante pelos jardins e parques em redor: Regent Gardens e Regent Road Park, lado a lado da Regent Road, a estrada que os atravessa.
Entre outros, poderemos apreciar o monumento dedicado ao mais famoso poeta escocês, Robert Burns,  Burns Monument, o colorido da vegetação,

as vistas sobre o monte Arthur’s Seat e sobre e o Palácio de Holyrood,

de onde iniciaremos a nossa visita de amanhã, pela Cidade Velha, a Old Town. Aqui

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: