O que ver O que fazer em GLASGOW ocidental

O que ver em GLASGOW ocidental

GLASGOW é a maior cidade da Escócia e a terceira mais populosa do Reino Unido. Situa-se nas margens do rio Clyde, nas Lowlands, as Terras Baixas escocesas.

Sendo uma grande cidade, GLASGOW oferece-nos muitos pontos de interesse:

  • Galerias de Arte e Museus (a maioria gratuitos): Kelvingrove, Provand’s Lordship (a casa mais antiga de Glasgow), dos Transportes, da Gaita de Foles
  • Igrejas e Catedrais: de Glasgow, de Sta Maria de Glasgow, de Sto André de Glasgow
  • Arquitetura moderna: Glasgow Tower, Science Centre, Armadillo
  • Parques: Glasgow Green, Kelvin Park

O que fazer em GLASGOW ocidental

Glasgow é uma cidade calorosa, com a maior diversão noturna da Escócia, recheada de bares e pubs famosos pela sua cerveja e pelo excelente whisky de malte, sendo considerada uma das mais excitantes do Reino Unido.

Além disso, a City of Glasgow é um lugar excelente para fazer compras, o terceiro maior centro de comércio de todo o Reino Unido, com extensas zonas exclusivamente reservadas a peões.

O que saber em GLASGOW

O aeroporto internacional de Glasgow Prestwick, fica a cerca de 12 km e de 20 minutos, do centro da cidade, que podem fazer-se de taxi, de comboio, ou de autocarro. O comboio não pára no aeroporto, pelo que, a opção mais económica e mais flexível é o Glasgow Shuttle, um autocarro que circula dia e noite, com um custo de 10£, para um bilhete de ida e volta.

Dado que, vamos ficar cerca de 2 dias em Glasgow, preparamos dois roteiros. Um de cerca de 9Km, que percorre o lado ocidental da cidade, e outro de cerca de 7km, o lado oriental. O ponto de partida é a praça central, George Square, que fica próximo do terminal de autocarros, na rua Buchanan, e das principais estações de caminho de ferro, Glasgow Queen Street e Glasgow Central Station


Roteiro1

George Square é a grande praça cívica no coração da cidade, onde se situa o conjunto de edifícios de arquitetura vitoriana, que albergam Câmara Municipal e serviços municipais, os Glasgow City Chambers,

onde diariamente são organizadas visitas guiadas que permitem testemunhar a opulência das construções palacianas e a beleza das sumptuosas decorações, como os pilares de mármore e granito, as escadarias em mármore de Carrara, tetos ornamentados com folha de ouro e cúpulas de vitrais.

A praça está recheada de estátuas, esculturas, obras de arte, como o Cenotaph, que homenageia os habitantes de Glasgow mortos na I Grande Guerra, e a coluna de 24 metros de altura que suporta uma estátua de Sir Walter Scott.

Ao lado, na praça Royal Exchange, encontramos o Posto de Turismo e a galeria de arte moderna mais visitada da Escócia, Gallery of Modern Art (GoMA)

instalada numa antiga habitação de estilo neoclássico de um rico comerciante de tabaco da cidade. Com entrada gratuita, como a maioria das galerias e museus do Reino Unido.

Mas o que por aqui mais chama a atenção dos forasteiros não é uma galeria de arte moderna num edifício clássico, mas sim, o cone de trânsito que teimosamente é recolocado na cabeça da estátua equestre do Duque de Wellington! De de cada vez que as autoridades locais retiram o cone invocando a dignidade do monumento, a vontade popular misteriosamente impõe-se recolocando-o na cabeça do Duque, ou mesmo na do cavalo. Teimosias que têm mais de 30 anos!

Prosseguimos em direção à marginal do rio Clyde,

e nesta, à nossa direita, no sentido poente, para a zona mais moderna da cidade.

Com sorte, veremos o pôr do sol de cima da Clyde Arc

a icónica ponte que liga as duas margens e os modernos edifícios Glasgow IMAX, Glasgow Science Centre e Glasgow Tower, à esquerda, e Scottish Event Campus, à direita, o Parque de Exposições onde se destacam SEC Armadillo, o auditório que é também um dos ícones da moderna Glasgow, The SSE Hydro, a arena polivalente inaugurada em 2013 pelo cantor Rod Stewart, e Finnieston Crane, o guindaste gigante símbolo da engenharia da cidade e da intensa atividade económica do porto.

Adiante, encontraremos The Clydeside Distillery, destilaria onde podemos ver o processo de fabrico e fazer prova do famoso whisky escocês, e o Riverside Museum, o Museu dos Transportes que mais parece uma elegante onda a desafiar o rio.

Prosseguindo à direita, junto à margem do rio kelvin, na direção de Kelvingrove Park, encontraremos, logo abaixo do campo da Universidade de Glasgow que integra um complexo de museus e galerias como o Hunterian e a Casa Mackintosh, o Museu e Galeria de Arte de Kelvingrove

a atração mais popular da Escócia e um dos museus mais visitados do Reino Unido. A entrada é gratuita.
Localizado na Argyle Street, guarda uma das mais completas coleções de armas e armaduras do mundo e um vasto acervo de história natural, para além de importantes obras de arte europeia, entre as quais a pintura Cristo de São João da Cruz, de Salvador Dali.

Um pouco mais a norte, ainda na margem do rio Kelvin, relaxamos da caminhada por entre o perfumado colorido do Jardim Botânico.

Um belo local para concluirmos o nosso roteiro através do qual descobrimos parte do que ver em Glasglow o que fazer, o que saber. Completamos essa descoberta com o  O que ver O que fazer em GLASGOW oriental .

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: